O que é a Programação Neuro-Linguística?

A programação neuro-linguística (em inglês, neuro-linguistic programming, NLP) foi essencialmente desenvolvida por dois autores, Richard Bandler e John Grinder.

A programação neuro-linguística (PNL) trata da forma como cada pessoa "codifica" as suas experiências anteriores e como essas "codificações" influenciam posteriormente as suas atitudes, crenças e comportamentos. Trata também, e principalmente, da forma como é possível alterar essas "codificações" e, como consequência, permitir às pessoas terem mais opções e mudarem os seus comportamentos.

As fontes da PNL

A PNL reúne e usa, por vezes com profundas alterações, alguns conceitos de vários autores e disciplinas.

Fonte Conceito Uso
Pavlov Reflexo Condicionado "Programação" de certos reflexos e comportamentos
Freud Inconsciente Muitas das nossas atitudes, crenças e comportamentos não encontram a sua justificação em ideias conscientes, mas em estruturas inconscientes
Miller, Galanter e Pribam Percepção e Estrutura A capacidade de percepção do cérebro humano e a estrutura do comportamento humano. A PNL utiliza estes dois conceitos na noção de estratégia mental
Watzlawick e Escola de Palo Alto Sistemas de Percepção e Sistemas de Representação As noções de sistemas de percepção e sistemas de representação como activistas da mudança
Maslow Pirâmide das Necessidades Uma nova necessidade emerge quando as anteriores estão satisfeitas e, portanto, já não são suficientes
Carl Rogers Congruência e Incongruência Diferença entre o que o indivíduo diz e o que ele faz
Milton Erickson Âncora e Modelos de hipnoterapia Uma âncora é a conexão neurológica entre um estimulo e um tipo de representação que lhe foi associada num dado momento
Chomsky Estruturas profundas e Estruturas de superfície Tal como a gramática generativa de Chomsky também nos modelos mentais existem estruturas de superfície e estruturas profundas
Informática Modelos, feed-back, programação, software, hardware, programar, modelizar, processar, etc. A PNL "reutiliza" vários conceitos quer da cibernética (feed-back), quer da informática

Os pressupostos da PNL

A PNL baseia-se em vários pressupostos:

- O mapa não é o território

Cada indivíduo constrói o seu mapa mental. Cada mapa mental é o resultado da forma como cada um apreende a realidade onde se insere. As pessoas actuam mais em função do seu mapa da realidade de que da realidade ela mesma.

- A experiência forma a estrutura

O pensar, o memorizar, o sentir têm uma certa estrutura. Quando se muda a estrutura, muda-se a experiência subjectiva e, portanto, a forma de reagir a certos estímulos.

- O cérebro e o corpo fazem parte do mesmo sistema

O pensamento do indivíduo influência a sua atitude corporal, as suas reacções físicas e reciprocamente. Quando se muda a forma de pensar, mudam-se as reacções físicas e a atitude corporal.

- As pessoas têm todos os recursos de que precisam

Imagens mentais, sons, sensações são a base de todos os recursos mentais e físicos. Os recursos que temos hoje são mais vastos do que aqueles que tínhamos quando a "programação" original foi gerada. Esses recursos podem ser utilizados para alterar essa "programação" e os comportamentos nocivos a ela eventualmente associados.

- Não podemos não comunicar

As pessoas estão sempre a comunicar, no mínimo a comunicar de forma não verbal, e, muitas vezes, a parte não verbal é a mais significativa.

- O significado da comunicação é a resposta que obtermos

Comunicar bem é fazer com que o outro perceba e entenda o que queremos transmitir. O resultado da comunicação é o feed-back que obtemos.

(Este resumo foi elaborado a partir da comunicação apresentada ao VII Encontro Nacional da APSIOT, em 1997, por Ana Tomás e Véronique Santos, "Mudança: organizações, grupos, pessoas".)

1 comment

  1. Jesiel Omido 20 Abril, 2003 at 22:28 Responder

    Eu achei algumas frases de difícil compreensão.

    Exemplo:

    “- Não podemos não comunicar

    As pessoas estão sempre a comunicar, no mínimo a comunicar de forma não verbal, e, muitas vezes, a parte não verbal é a mais significativa.”

    e…

    “- O significado da comunicação é a resposta que obtermos

    Comunicar bem é fazer com que o outro perceba e entenda o que queremos transmitir. O resultado da comunicação é o feed-back que obtemos.”

    O significado da comunicação é a resposta que obtemos? Ou que obteremos? Ou para obtermos?

    Tratando-se sobre um texto de Programação Neurolinguistica, acho que deveríamos nos entender melhor, não acha?

    Obrigado.

Leave a reply