Peter Senge para Líderes

No dia 29 de Setembro, Peter Senge, o conhecido autor do livro "A Quinta Disciplina", deslocou-se a Londres para uma conferência sobre os desafios da liderança. Organizado pelo Leadership Centre da NHS Modernisation Agency, este evento era essencialmente para líderes do sector da saúde. Entre os participantes encontravam-se líderes e responsáveis pela modernização de diversas instituições de saúde.

Peter Senge iniciou a sua apresentação enfatizando a importância e a relação entre aprendizagem e liderança. Eis algumas das frases que ele usou no dia:

  • "Liderar e aprender são sensivelmente o mesmo."
  • Aprender é "o processo pelo qual os seres humanos, individualmente ou em grupo, passam para poder produzir resultados que não poderiam produzir antes."
  • "A sua capacidade de liderar nunca é maior do que o seu empenho pessoal."

Segundo Senge, as capacidades centrais da aprendizagem que, de facto, coincidem com as da liderança, constituem um banco de três pernas: aspiração, conversação reflectiva, e entendimento da complexidade.

Há duas grandes motivações para mudar: aspiração ou medo. A aspiração é, decididamente, a melhor motivação. Contudo, é comum ouvir as pessoas dizer "as coisas aqui só mudam quando há uma crise". Este é um sintoma de uma organização que se rege pelo medo. E estas, infelizmente, são a maioria.

Não há problema se as organizações reagirem aos eventos e agirem pelo medo. Contudo, esta não deve ser a regra mas a excepção. E, como alguém disse, se os empregos das pessoas dependerem de atingir os objectivos, estes serão atingidos. Ainda que a organização seja destruída no processo!

Quanto à segunda perna do banco, Senge começou por definir conversação: "a capacidade de relacionar com outras pessoas de forma a criar um significado partilhado". A conversação reflectiva está intimamente ligada aos nossos modelos mentais, que nos fazem escalar a escada de inferência: interpretação, atribuição e generalização.

Um rápido exercício permitiu aos participantes perceber a importância de se consciencializarem dos seus modelos mentais. Nas palavras de Senge, "se estiver verdadeiramente interessado em criar um ambiente de aprendizagem, a sua auto-consciência é a sua maior limitação".

Depois de salientar a importância da aprendizagem, Senge começou a falar do sistema educacional. Criado durante a revolução industrial para ensinar os trabalhadores fabris, o sistema de educação pouco mudou na sua essência. A ideia não é que os alunos aprendam, mas que os alunos agradem aos professores. Os dois principais elementos do DNA da aprendizagem são que os erros são maus e que os professores têm todas as respostas. Estas são duas importantes lições que uma criança aprende durante os seus primeiros oito anos de idade.

Estes elementos do DNA prevalecem até aos dias de hoje, e têm um grande impacto na nossa cultura. Eles são a base de uma facto assumido da sociedade industrializada: independentemente da idade ou profissão, para sobreviver é preciso evitar ou esconder os erros cometidos e fazer os possíveis para agradar o chefe.

Finalmente, Senge contou a história de um senhor que decidiu explicar à sua equipa os desafios da mudança. Ele uniu dois patins através de uma mola e mostrou que ao mexer no patim de trás o patim da frente também mexia. De seguida, criou uma cadeia de cinco patins ligados por molas de diferentes tamanhos e resistências. Independentemente do movimento exercido pelo patim de trás, o primeiro nunca se mexia.

Para quem não conhecia o trabalho de Peter Senge, o evento foi uma boa oportunidade para conhecer três das ferramentas descritas do livro "The Fifth Discipline Fieldbook". Para os restantes, o dia permitiu conhecer o autor e outros colegas. Talvez este seja um motivo tão válido como qualquer outro. Na realidade, como Peter Senge, ele mesmo, disse, "Nenhum método ou ferramenta alguma vez transformou uma organização. As pessoas transformam as organizações. As redes e as comunidades transformam as organizações."

1 comment

  1. Ferdinand 23 Janeiro, 2011 at 21:35 Responder

    Estou lendo este texto pela terceira vez!

    E por que?

    Tem algo de inconsciente neste comportamento.

    Ou é o “The Halo Effect” pois o Senge é uma figura proeminente.

    Realmente não sei dizer.

    Talvez seja a idéia: “E, como alguém disse, se os empregos das pessoas dependerem de atingir os objectivos, estes serão atingidos. Ainda que a organização seja destruída no processo!”

    Penso que esta idéia não deveria ficar soterrada no meio de tanto texto. É fundamental incorporá-la.

    Ana,

    seria interessante/possível criar um campo/janela com o tag tipo FUNDAMENTALS / BASICS / ETC…?

    Estes conceitos deveriam ser de fácil acesso.

    Seriam ordenados pelo número de votos recebidos .

    Que tal a idéia?

Leave a reply