Repensando as Redes de Relacionamentos

Pense em uma grande realização sua. Mas só sua! Aquela que você conquistou, sem a ajuda direta ou indireta de alguém! Difícil? Talvez impossível...

Cada dia que passa dependemos mais e mais das pessoas à nossa volta. O mundo tornou-se tão complexo que é impossível sabermos e fazermos tudo sozinhos. Com isso cresce a necessidade de nos relacionarmos mais e melhor.

A Internet tem contribuído significativamente para isso. Muito antes dos portais de relacionamentos, popularizaram-se os encontros de negócios entre os “empreendedores digitais” em todo o mundo.

Mas será que as pessoas estão realmente construindo redes efetivas de relacionamento?

Lembro-me de um desses eventos dos quais participei, onde havia uma pessoa que estava enquadrada entre os top 10 de networking no Brasil – É, agora tem até ranking -. Ele ficou sentado, falou pouco com alguns e antes de sair pegou o meu cartão. Não me recordo que ele tenha falado mais do que duas frases comigo. No dia seguinte, pela manhã, ele me ligou - claro que atendi muito bem - e ele logo veio me falar do produto maravilhoso que tinha para oferecer... Top 10? Meu Deus! Eu daria zero em networking e zero em vendas! Nem se preocupou com a minha necessidade, não me conhecia direito, e já veio querendo me empurrar o seu “produto maravilhoso”? Ele pode até encontrar muitos que comprem. Dêem um prêmio de vendas para ele! Mas que tipo de relacionamento ele constrói? É o típico e efêmero relacionamento: “Eu – que vendo - e meus clientes – que compram”.

Claro que fazer negócios é parte do jogo, mas não é o jogo. Que diferencial você está oferecendo em relação ao vendedor que pega número na lista telefônica?

E os portais de relacionamento na internet? Pessoas se gabam de ter milhares de contatos. Parece uma competição para saber quem conhece mais gente! Que legal que encontrou aquele amigo de infância. Mas do que adianta essa insana competição de apenas encontrar e adicionar mais pessoas? Parece que é enviada uma mensagem subliminar dizendo: Oi, legal te ver, nos falaremos novamente daqui a 10 anos.

Às vezes, lembro-me daquelas irmandades e instituições seculares que se reúnem freqüentemente e com objetivos diversos. Por que vocês pensam que elas são tão duradouras? Uma dica: assim como as empresas prósperas, elas também têm objetivos concretos e são sustentadas por valores sólidos!

Você quer fazer uma rede de relacionamentos sólida e próspera também? Aí vão algumas idéias que acredito que possam ser muito úteis:

1) Tenha em mente o desejo sincero de ajudar

Seu produto ou serviço pode ajudar alguém? Caso não, você tem um sério problema. Se sim, pense como você aborda tentando vender um produto. Agora faça o mesmo tendo em mente o simples desejo de ajudar. Sua abordagem mudou ou não?

2) Preocupe-se com a sintonia

O primeiro passo da venda. Não venda o produto, venda-se como pessoa. Seja amigo e confiável. Valorize as pessoas. Qualquer negociação depois disso será natural.

3) Qualidade é melhor do que quantidade.

As instituições seculares também não aceitam qualquer um. Selecione quem se identifica com os seus valores. Se sobrar tempo, aí sim, assuma o papel de “vendedor” para os demais - vender também não é crime.

4) Aproveite ou crie oportunidades para contato

Esteja presente nos eventos, crie eventos, ligue e contate sua rede sempre que possível. Pense se no meio da avalanche de informações que você recebe no seu dia-a-dia, não existe alguma coisa que possa ser útil para algum conhecido e aproveite para levar a novidade para ele.

5) Reconheça o valor de cada um na sua rede

Muita atenção aqui: reconhecimento é ter em mente o valor de cada pessoa, e demonstrar com ações o quanto ela é importante - se for tímido, esqueça as palavras, pois muitas vezes um sorriso já diz tudo. Claro que o reconhecimento envolve o agradecimento pelo auxílio, o elogio pelas qualidades, mas agradecimento e elogio nunca foram suficientes. Palavra nenhuma gritará mais alto que seus atos. Em muitas empresas sobram elogios (porque se criou uma cultura de que o elogio é um poderoso motivador) e muito pouco reconhecimento. Por que essas empresas não conseguem manter a motivação das suas equipes? E você? Quer uma rede motivada e produtiva?

6) Estimule as pessoas a mostrarem o que elas têm de melhor

Realizei algumas palestras em uma dessas “instituições seculares”, e eles diziam: “Cada um de nós é um líder”. Pois seja um líder você também: Ajude a sua rede a crescer, ajude cada um a mostrar as suas qualidades, a desenvolver habilidades e a vender o próprio produto. Mais uma vez, seja prestativo!

Depois de tudo isso, esteja certo de que terá credibilidade e respeito. E, caso precise da ajuda de alguém, lembre-se da sétima dica:

7) Fale!

Quantas pessoas precisam de clientes, informações, produtos ou favores, que possuem milhares de conhecidos e não falam? Esteja certo de que boa parte daqueles que você ajudou se mobilizará para ajudá-lo também, mas, quando precisar, não espere por adivinhos. Se a ficha não cai, nós temos de empurrá-la!... E lembre-se: todos podem ajudá-lo de alguma forma.

Você também acredita no valor das pessoas? Quer chegar à terceira idade e ter orgulho de olhar para trás e ver o rastro de sorrisos e sucessos que plantou? Gostaria de viver em uma sociedade mais feliz, mais justa e mais digna? Então não se contente em conhecer alguém ou vender alguma coisa. Faça relacionamentos

1 comment

  1. Kleber 15 Dezembro, 2010 at 19:44 Responder

    Meu Chará, gostei muito do seu texto. E concordo plenamente com tudo isso. TEnho muitas idéias de como ajudar as pessoas, mas nunca as coloquei em prática. Porem de uns dias pra cá resolvi agir.

Leave a reply