Gestão de Conhecimento, Wikis e Empresas de Advocacia

Ninguém pode negar o quanto as empresas de advocacia dependem do conhecimento. Ninguém pode também negar o quão preocupadas com a segurança do mesmo elas são. Assim, conseguir uma franca partilha de conhecimento em empresas de advocacia não é fácil.

Já referi o caso de sucesso da Allen & Overy LLP aqui e aqui. Esta empresa recorreu a uma plataforma wiki (o Confluence) para ajudar à troca de conhecimento entre os seus colaboradores. Hoje, encontrei relatos resumidos de mais dois casos - este e este - de empresas de advocacia que recorreram a wikis (o ThoughtFarmer  e o do Sharepoint).

Achei bastante interessante ler que num dos casos, foi preciso adoptar uma ferramenta bem simples, sem muita funcionalidade, para não afugentar os colaboradores, sem experiência e sem tempo. Numa altura em que estou a avaliar as intranets e portais inscritos no Prémio Intranet Portal, ler estes casos fez-me recordar o quão perigoso pode ser querer incluir tudo e mais alguma coisa. (Mais sobre este tema em breve.)

O que não fica muito claro em nenhum dos casos narrados por Bill Ives com base nas apresentações a que assistiu é quem, na realidade, usa as ferramentas nas empresas de advocacia. São os próprios advogados ou são os colaboradores que garantem as actividades de suporte da empresa (e.g. Recursos Humanos, TI, Marketing)?

Quais foram os principais desafios encontrados? Foram as equipas de TI e Legal preocupadas com a segurança / privacidade da informação partilhada? Foram os colaboradores no geral queixando-se de falta de tempo (a velha desculpa)? Foram os advogados aflitos com “mais uma coisa para fazer”?

Independentemente dos desafios, o que é certo é que se observa um crescente interesse pelo papel da gestão de conhecimento nas empresas de advocacia e, em especial, pela utilização de ferramentas sociais para ajudar nesse processo. Prova disso mesmo são o número de eventos realizados em torno da gestão de conhecimento e das ferramentas sociais aplicadas às empresas de advogados (ver aqui, aqui e aqui, por exemplo).

Ficarei atenta para ver de que forma é que estas empresas conseguem ultrapassar as suas circunstâncias específicas.

Leave a reply