Carreira em Gestão de Conhecimento

Hoje descobri um wiki criado pelo site Toolbox for IT que incluí uma secção dedicada à gestão de conhecimento. O conteúdo que lá têm é à data essencialmente sobre a carreira profissional em gestão de conhecimento, nomeadamente sobre os vários cargos organizacionais relacionados com esta disciplina.

Confesso que fiquei chocada com a perspectiva tradicional / tradicionalista com que os cargos são descritos.

A carreira de gestão de conhecimento é, de acordo com o wiki, composta pelos seguintes níveis:

São vários os pontos que gostaria de comentar nesta "carreira".

No meu entender o papel de uma knowledge steward é substancialmente diferente do de um bibliotecário (librarian). Se a definição que o wiki sugere se alinha mais ou menos com o de bibliotecário/a, não concordo que se adapte ao de um knowledge steward (ver aqui a opinião de Sasson and Sharon sobre o papel destes profissionais). Este/a é um agente facilitador da troca de conhecimento e informação, alguém que identifica oportunidades e riscos de perda de conhecimento e que ajuda os colaboradores envolvidos a partilhar esse conhecimento.

Não consigo entender a presença de um software engineer, muito menos sendo colocado num nível diferente (superior) aos dois postos anteriores (knowledge steward e knowledge analyst).

Não entendo também a razão para a hierarquização excessiva das funções relacionadas com a gestão de conhecimento. Vários dos cargos apresentados nesta carreira são, e deverão continuar a ser, cargos de carreiras paralelas. Cargos com que alguém numa função de gestão de conhecimento tem de trabalhar mas cargos paralelos. Se fossemos incluir nesta lista cargos com que um gestor de conhecimento deve colaborar, não poderíamos deixar de referir cargos na gestão de Recursos Humanos, nos departamentos de Informática, de Comunicação e Marketing Interno, e possivelmente outros.

Finalmente, e para além de distinguirem o cargo de Gestor de Conhecimento do de Director de Conhecimento, fiquei pasmada com a forma como descrevem o primeiro.

"As the primary leader of the Knowledge Management team, the Knowledge Manager (aka KM) is primarily responsible for managing the organization’s knowledge assets. Depending on the depth and breadth of a particular organization, this team member may be part of a small, focused group, within the IT department of a relatively small company, or, in a large corporation, the KM may wear one of many hats common to more lateral organizations.

Among the responsibilities of the Knowledge Manager is to manage the creation and delivery of IT (and/or business) knowledge, and, to support the utilization of this accumulated information by both the internal and external end-user communities. This may include any or all of the following duties and capabilities:

  • Understanding the end-user’s information needs,
  • Coordinating who is responsible for each knowledge asset,
  • Where appropriate, communicating knowledge requirements to service providers,
  • Planning and managing the delivery of knowledge projects, communicating the availability of knowledge to the end-user community,
  • Monitoring the use of the knowledge assets and measuring the business value of the knowledge to the end-user community.

In an Internet environment, responsibilities may also include:

  • Constructing access paths to suites of information (e.g., link pages) to facilitate access by subscribers,
  • Recombining authored content into views and navigation structures aimed at particular subscriber groups or functions."

Esta descrição é de um cargo meramente técnico. A única forma como poderia entender esta descrição é tendo em consideração a existência do Director de Conhecimento, esse descrito com características que cobrem áreas bem mais variadas. No entanto, e como referi acima, este cargo técnico faria bem mais sentido num departamento de Informática. Teria muito interesse, também, existir no departamento de Informática (e em vários outros departamentos) uma pessoa responsável por trabalhar mais de perto com a equipa / pessoa da Gestão de Conhecimento.

O grande perigo de distinguir o Gestor de Conhecimento da Directora de Conhecimento está no facto de muito poucas organizações terem possibilidade de manter os dois cargos e no facto de ajudar a propagar esta visão limitada, puramente técnica, que tão frequentemente se associa aos cargos de gestão de conhecimento.

Esta informação está num wiki o que significa que pode alterar à medida que outras pessoas vão editando o conteúdo (por isso capturei aqui os excertos do texto a que me referia para que os meus comentários possam ser analisados no contexto certo). De qualquer forma, o quadro pintado está, no meu entender, tão longe da realidade e do ideal no âmbito de uma gestão de conhecimento saudável - que responsabiliza todos os colaboradores pelos processos do conhecimento - que nem saberia por onde começar a editar as páginas do wiki.

Assim, resolvi adoptar a atitude preguiçosa e partilhar o meu desacordo só aqui neste cantinho.

1 comment

  1. Viviane Werutsky 3 Março, 2009 at 12:32 Responder

    Ana!

    Concordo com você!

    Exagerada e dificultadora esta visão hierarquizada da GC com tantas funções! Neste modelo, as organizações, literalmente, deverão “fugir” deste “bicho esquisito” chamado GC!

    Penso que muitas organizações ainda não estão informadas ou esclarecidas a respeito do processo que envolve a GC,mesmo na academia, há ainda algumas contradições em relação ao campo e as atividades. Como trabalho e pesquiso além de GC, comunicação organizacional, posso concluir que a GC – por ser uma “novidade”, além de situada no campo multidisciplinar (e porquê não dizer transdiciplinar !) – padece do mesmo mal da comunicação: fragmentação e dispersão, além de uma carência de consenso, característica das disciplinas imaturas! Mas estamos avançando!

    abçs

    Viviane Werutsky, MsC Engenharia e Gestão do Conhecimento/UFSC

Leave a reply