O Século XX estava Errado

Lee Bryant, um dos sócios da empresa Headshift onde trabalho alguns dias por semana, apresentou esta semana na LIFT'09. Foi uma pequena apresentação de apenas 8 minutos que vale a pena ouvir.

Bryant diz que as redes socias que as organizações parecem ter medo de apoiar são uma abordagem bem mais sólida e testada do que o modelo de massificação usado no século XX que as organizações teimam em defender. E se as redes sociais se provaram no passado uma abordagem vencedora com impactos de grande dimensão, as ferramentas actualmente disponíveis tornam possível dar um maior apoio às malhas humanas e ampliar esse impacto.

Os slides utilizados na sua apresentação bem como algumas palavras de contextualização podem ser encontradas aqui. Os vídeos das restantes apresentações da LIFT'09 estão disponíveis aqui.

3 comments

  1. Pedro Freire 3 Março, 2009 at 02:13 Responder

    Monocórdico, mas brilhante! O drama é que esta mentalidade da massificação ainda está fortemente incorporada nas nossas actuais instituições e continua a ser transmitida às gerações futuras via escola. Felizmente há a internet e muitas mentes abertas (não tantas como seria desejável, mas nestas questões a qualidade tem o seu peso), a pesar de também as haver que ainda acham que o “eduquês” é “pedagogia romântica”. A mudança custa, especialmente aos que estão mais agarrados ao status quo do séc. XX (e precedentes…)

    • Ana Neves 6 Março, 2009 at 23:56 Responder

      Pedro, muito obrigada pelo link que deixou.

      Não conhecia essa TED talk do Sir Ken Robinson e adorei. Para além de me ter rido à gargalhada, achei que ele conseguiu pôr o dedo na ferida, falando dos defeitos do nosso sistema de ensino actual mas desactualizado.

      E porque ideia puxa ideia, para quem se interessa pelo tema do ensino / educação, nomeadamente pelo forma como o sistema de ensino está desadequado às actuais necessidades, fica uma sugestão: a leitura de uma entrevista com Roger Schank e da resenha do seu livro “Engines for Education”.

Leave a reply