Plataforma, Conteúdo, Funcionalidade e Visual do KMOL

Quando em Agosto de 2008 lancei o novo visual do KMOL prometi que iria escrever um pouco sobre a forma como organizei o conteúdo, sobre a funcionalidade que decidi incluir e sobre a minha escolha de plataforma. Pois bem, com alguns meses de atraso em relação ao previsto, aqui fica o prometido.

Desde que em 2001 foi lançando, o portal KMOL foi continuamente crescendo, atraindo visitantes de todo o mundo. No entanto, ao fim de alguns anos a manter o site, comecei a sentir algumas dificuldades:

  • o tempo não chegava para produzir conteúdo
  • demorava muito tempo a publicar cada texto pois implicava criar uma página para o texto (algumas vezes tinham mesmo de ser várias páginas devido ao comprimento), uma página para impressão, uma versão para dispositivos móveis, acrescentar uma linha na página principal, acrescentar uma linha na página topo de secção, acrescentar uma linha na newsletter
  • aconteciam muitos erros (por exemplo, apontadores errados) devido ao processo ser todo manual
  • o processo para envio de comentários, fundamental para o portal KMOL, não era muito simpático para os visitantes e significava mais trabalho manual da minha parte
  • o prazer de fazer o portal KMOL estava a esfumar-se.

Por todas estas razões, senti que estava na hora de mudar. Nem que isso significasse copiar, manualmente, mais de 500 textos do antigo site (criado em HTML no TextPad) para o novo (como veio a acontecer).

A primeira decisão a tomar foi a de que plataforma escolher. Precisava de uma plataforma gratuita ou de baixo custo que eu pudesse hospedar e que eu pudesse “trabalhar” facilmente para incluir a funcionalidade com que andava a sonhar há muito tempo. Confesso que não demorei muito tempo a chegar a uma solução: WordPress. Ser OpenSource, gratuita, flexível e ter uma enorme comunidade de utilizadores e programadores (e consequentemente extensões) foram os factores decisivos.

Depois de decidir a plataforma, tive de decidir quanto à estrutura do conteúdo e à funcionalidade.

A tentação de tentar encaixar tudo e mais alguma coisa é sempre grande. Assim, fiz vários esboços (wireframes) para tentar visualizar os vários elementos de funcionalidade no écran, e considerá-los à luz dos meus objectivos e dos comentários recolhidos junto de quem regularmente visita o site.

Relativamente ao conteúdo, tive de tomar algumas decisões que me custaram um pouco. Por exemplo, a secção “Humor” que tantas pessoas atraía ao antigo portal KMOL teve de sair. Porquê? Porque era mais uma secção para eu manter, porque dispersava a atenção dos visitantes, e porque não era o factor decisivo para os verdadeiros leitores do KMOL virem ao site (essa secção atraía, acima de tudo, visitantes ocasionais mais interessados no humor do que na ligação do texto humorístico com a gestão de conhecimento). Apesar de alguns desses textos se encontrarem ainda no KMOL, não se encontram numa secção específica (pode encontrá-los aqui).

Outro elemento que retirei (ainda que considere repô-lo mais tarde) foi o Glossário. Novamente, senti que era apenas um nice-to-have, não fundamental, e que me dava trabalho manter.

Eliminei também alguns outros elementos do portal KMOL:

  • os apontadores do mês que foram substituídos pelos meus bookmarks no Delicious e que podem ser encontrados na coluna direita do Blog
  • empregos, uma secção que não estava a ter muito sucesso (ofertas de emprego que me sejam agora enviadas serão publicadas no Blog, tal como esta da PwC)

Depois de eliminar estas secções, pude-me dar ao luxo de introduzir uma nova secção com que andava a sonhar há muito tempo: o Blog. O Blog é onde partilho as minhas observações, as minhas perspectivas e opiniões, as minhas ideias, as minhas dúvidas, os meus desafios. Ao contrário de textos que publico na secção Artigos, as minhas contribuições no Blog são mais informais, geralmente mais curtas, mais espontâneas.

Mantiveram-se as secções de Artigos, Livros, Entrevistas (anteriormente “Pessoas”) e Casos. Todas estas secções estão abertas à participação de quem nos visita. Assim, por favor, se tiverem material que queiram enviar, não hesitem. Dêem uma olhada aqui.

Quanto à funcionalidade do ponto de vista do visitante, aspectos a destacar:

  • a existência de uma página de perfil para quem se regista no KMOL (esta, por exemplo). Esta página inclui dados (opcionais) sobre a pessoa e uma lista dos seus textos e comentários publicados no KMOL
  • a possibilidade de comentar todos os textos no KMOL sem necessidade de se registar, a não ser queiram ver os seus comentários listados na sua página de perfil (aproveito para explicar que devido a uma grande quantidade de spam, vi-me obrigada a moderar comentários de utilizadores não registados - isso significa que poderão ter de esperar um pouco antes de verem os vossos comentários no KMOL)
  • a possibilidade de votar na qualidade dos textos publicados no KMOL
  • utilização de tópicos (tags) que permitem navegar o conteúdo de formas alternativas: vendo os tópicos mais usados (como por exemplo na caixa verde na primeira página), carregando num dos tópicos para ver todos os textos sobre esse mesmo tópico (como por exemplo esta lista de textos sobre actores do conhecimento), vendo recomendações de textos relacionados com base no número de tópicos que partilham entre si (veja a caixa "Textos relacionados" na coluna direita de cada página de texto)
  • inclusão na página de topo da secção Blog de uma feed da minha conta no Twitter onde podem ficar a par do que ando a fazer e de coisas interessantes que descubro no dia-a-dia
  • RSS feeds que permitem subscrever actualizações de todo o KMOL ou de secções específicas
  • fácil leitura em dispositivos móveis
  • versão para impressão.

A newsletter por email do KMOL mantém-se.

Finalmente, e para terminar este texto que já vai longo, tenho de referir as alterações ao logotipo e ao visual do KMOL.

Criado em 2001, o visual do portal KMOL estava muito gasto. Era pesado e pouco convidativo. Apesar de ainda considerar o conceito do logotipo bastante adequado, pensava necessário mudar o seu aspecto rígido e antiquado.

Acredito que o KMOL está agora com um ar mais moderno, mais leve, mais fresco e profissional. Acredito também que, em consequência, seja agora mais fácil de ler e consultar, tornando-o num site mais agradável para quem o visita regularmente e para quem nele cai de pára-quedas.

Ah, esperem, ainda falta explicar um pequeno pormenor: o porquê de passar de “portal KMOL” para “KMOL”. A razão é simples: todos se referiam ao “portal KMOL” como “KMOL” 🙂

Notas importantes de rodapé:

  1. Digo acima que a primeira decisão que tive de tomar foi a de que plataforma escolher. Isto deverá ter arrepiado muitos de vós desse lado. Na verdade, raramente se deve escolher a plataforma antes de se saber que funcionalidade é necessária. Mas, e isto tem a ver com o facto de todo este processo se ter passado muito na cabeça de uma só pessoa, na altura em que escolhi a plataforma, e apesar de ainda não o ter posto no papel, a funcionalidade e os wireframes já estavam na minha cabeça há muito tempo.
  2. Nenhum do trabalho que referi acima terá valido a pena se não houver mais contribuições no KMOL (o que felizmente já está a acontecer). Assim, façam ouvir as vossas opiniões. Enviem os vossos textos ou deixem os vossos comentários. Todos eles serão extremamente bem-vindos.
  3. Apesar do KMOL ter sido renovado, na minha cabeça, jamais estará terminado. Venham daí esses comentários, que poderão deixar no Livro de Visitas. Usá-los-ei para continuamente tentar melhorar este site que pretendo seja de todos e para todos.

Leave a reply