Etiqueta nas Interacções Online

Não é todos os dias que me apetece fazer uma vénia a alguém, prestar-lhe uma homenagem. E hoje apeteceu-me fazê-lo. A alguém que mal conheço. Aliás, alguém que já conheço há muito tempo pelo trabalho que produz e do qual vou tendo conhecimento através da Internet. Mas alguém que nunca tive o prazer de conhecer pessoalmente e com quem nunca falei sincronamente. Falo do Luis Suarez. Sim, o Luis Suarez cuja entrevista publiquei aqui no KMOL há poucos dias.

E perguntam vocês: o que fez ele para merecer essa vénia? Pois bem, eis aqui o que ele fez:

  • falou da entrevista no Twitter - uma forma de se auto-promover (nada de errado com isso) e de divulgar o KMOL
  • escreveu um post no seu blog sobre o facto de ter sido entrevistado, tecendo algums comentários elogiosos ao KMOL e ao meu trabalho - uma maneira de agradecer o convite
  • nesse post, colocou um link para a entrevista no KMOL (atenção!, não copiou o conteúdo) - uma forma de levar pessoas para o KMOL e de não duplicar o conteúdo
  • nesse post, listou as questões que lhe coloquei como forma de conquistar o interesse das pessoas mas sem tentar "segurar" as pessoas no seu site
  • agradece o convite para a entrevista e diz que o que mais gostou da experiência foi o facto de eu ter discordado com uma das suas respostas e ter justificado as minhas razões num outro post
  • convida as pessoas a emitir a sua opinião no KMOL, na sequência do meu post (e na versão em inglês já lá está um comentário bem interessante de John Tropea)
  • promete, ele também, responder ao meu post com os seus contra-argumentos.

Fala-se muito de um código de ética e de uma etiqueta para a Internet (netiqueta). O que é certo é que, melhor do que quaisquer "regras" que se possam escrever, ver a forma como o Luis Suarez agiu na sequência da entrevista no KMOL é um óptimo exemplo do que se deve fazer e do espírito que deve estar presente nas interacções online. E também uma demonstração prática de como os princípios inerentes à gestão de conhecimento podem ser aplicados.

É que, se transposto para o cenário organizacional, esta atitude dá também algumas ideias engraçadas para como se deve agir nas organizações: de forma a reconhecer e divulgar o trabalho de colegas, respeitar esse mesmo trabalho, ter vontade de aprender com a diferente opinião dos outros, tentar gerar diálogo como forma de enriquecer a base de conhecimento, etc..

Obrigada, Luis Suarez! Uma vénia para si! É um verdadeiro gentleman da Internet.

1 comment

  1. João Assunção 7 Julho, 2009 at 15:32 Responder

    Este tema é extremamente relevante hoje em dia em que é tão fácil escrever e opinar sem regras, o mandar a baixo por regra, o defender porque sim …

Leave a reply