Hal Gregersen

Hal Gregersen fala sobre inovação

Assisti no dia 31 de Maio a uma palestra no Centro de Conferências do Estoril. Já foi há algumas semanas mas penso que ainda vale a pena registar as principais ideias que retirei da sessão.

A palestra foi de Hal Gregersen, professor de liderança no INSEAD, e estava inserida no 7º Encontro Nacional de Inovação COTEC.

Ficam os bullet points:

  • “we change organisations by changing individuals, not the other way round”
  • a inovação não é suficiente: a execução é igualmente importante
  • uma das técnicas possíveis para gerar ideias é a da interrogação: “O que aconteceria se...?”. E depois podem criar-se restrições (ex. “se não pudéssemos continuar a vender aos nossos clientes”) ou podem eliminar-se restrições (ex. “e se não houvesse limite de dinheiro”)
  • os gestores de produto da P&G passam doze horas por mês em lojas a observar a forma como as pessoas se comportam. Passam também 3 dias por mês a viver com uma família para perceber o seu dia-a-dia, necessidades, etc.
  • os inovadores, enquanto líderes, deixam que as pessoas tragam até si as suas ideias e criam condições para que a inovação tenha lugar
  • nas escolas secundárias americanas, durante um mês, os alunos colocam apenas uma pergunta relacionada com as matérias leccionadas (a idade dos porquês termina com a entrada para a escola)
  • numa experiência, foram colocados dois grupos de pessoas, grupos esses muito semelhantes, em duas salas e foi-lhes pedido para realizar uma tarefa em frente a um monitor. Durante a tarefa que tinham de realizar o monitor ia apresentando, repetidamente, uma imagem subliminar: numa das salas era o logotipo da Apple; noutra das salas, o logotipo da IBM. As pessoas na sala em que era apresentado o logotipo da Apple, resolveram a tarefa de forma muito mais criativa que os da outra sala
  • apesar da IBM ter muito mais patentes registadas que a Apple, a IBM tem grandes dificuldades em promover uma cultura de inovação fora da sua equipa de Investigação e Desenvolvimento (I&D).

Fui à procura de mais informação sobre esta experiência com os logotipos da IBM e da Apple e encontrei este pequeno vídeo da Duke University, responsável pela investigação.

A palestra foi proferida para um auditório replecto de responsáveis das maiores empresas nacionais. Interessante comparar a receptividade com a registada no evento, também sobre inovação, realizado em Coimbra poucos dias mais tarde e de que aqui falei. Claro que as entidades organizadoras são substancialmente diferentes e que a divulgação terá sido também bem distinta. Ainda assim, tenho de questionar: será o interesse na inovação causa ou consequência de se ser uma empresa grande e/ou de sucesso?

1 comment

Leave a reply