O Cidadania 2.0 e a gestão de conhecimento (em jeito de continuação)

Há coisas que fazemos por obrigação, outras que fazemos por gosto e outras que fazemos por um misto estranho de paixão e masoquismo. Sinto que o evento Cidadania 2.0 está a ser um projecto que cai nesta última categoria.

Porque é que pensei organizar um evento deste género? Por acreditar que faz falta em Portugal mostrar o que é possível fazer com as ferramentas e redes sociais, mostrar como se faz bem, o que pode correr mal, o investimento e preparação necessários. É isto que permitirá às organizações considerarem estes canais de forma estratégica e pensada, tirando deles máximo benefício.

Porque é que decidi avançar apesar de todas as adversidades? Por acreditar que os casos e os oradores que se encontram no programa são de grande qualidade e merecem ser ouvidos. O conhecimento que têm para nos passar, todo ele ganho através da sua experiência na prática, é precioso. Por acreditar que precisamos de partilha de conhecimentos práticos que nos iluminem o caminho, e não apenas de conceitos teóricos que nos digam que existe um caminho para andar.

Porque é que estou contente por ter avançado? Por ver o número de inscrições recebidas até à data, por ver o interesse que o tema está a despertar nos mais diversos sectores da nossa sociedade, e por acreditar que o dia 23 vai ser um dia muito proveitoso para todos aqueles que estiverem presentes no Cidadania 2.0.

Mas, de um ponto de vista muito egoísta, estou também extremamente contente porque, independentemente de tudo, o que aprendi durante todo o processo de preparação deste evento... isso, ninguém mo vai roubar. Desde questões logísticas a questões “políticas”, de tudo aprendi um pouco. Aprendi a fazer coisas que nunca tinha feito, melhorei outras agora que as coloquei em prática, reavaliei pressupostos que tinha. Mais ainda, agarrei-me com unhas e dentes à minha rede de contactos, especialmente às pessoas que conheci no meu percurso profissional e que me deram conselhos, contactos e força para continuar.

E a parte mais engraçada, é que o que fui fazendo, as ideias que foram sendo trocadas com as pessoas com quem falei, os contactos que efectuei, as respostas que tive, tudo isso está numa plataforma de colaboração partilhada. O processo de pensamento e tomada de decisão que teve lugar durante a preparação deste evento, está todo documentado para: a) se algo me acontecesse durante estas semanas, alguém poder pegar e avançar e b) se amanhã eu me aventurar a fazer algo semelhante, ter uma base de informação e conhecimento sólida para me apoiar.

E se todo este percurso não foi uma verdadeira prova do ciclo de conhecimento em acção, não sei o que será. E se tudo isto, não é um exemplo, em pequena escala, dos princípios de gestão de conhecimento organizacional, não sei o que será.

Até dia 23 Novembro para aqueles que puderem estar presentes no Cidadania 2.0 (venham dizer-me olá!). Até depois desse dia, para aqueles que me vão “ouvindo” através do KMOL.

PS: Este texto vem em jeito de continuação de um outro onde também exploro a relação entre o evento Cidadania 2.0 e a gestão de conhecimento.

4 comments

  1. Maria Amélia Maia 24 Novembro, 2010 at 12:32 Responder

    Bom dia,

    Assisti ao “Cidadania 2.0? e só tenho uma palavra a dizer:PARABÉNS!

    Foi muitissimo interessante, muitissimo pertinente. estou à espera de receber as apresentações, pois já passei a palavra e quero fazer a divulgação de alguns dos temas.

    obrigada e continuem o bom trabalho

    Amélia

    • Ana Neves 24 Novembro, 2010 at 18:51 Responder

      Muito obrigada pela sua palavra 🙂

      De momento estou de ressaca (de cansaço, não de alcool) e capaz de muito pouco. No início da próxima semana estarei em condições de enviar um email aos participantes com informação de como podem aceder às apresentações, com o URL dos exemplos extra que fomos apresentando, e com algumas outras informações de que nos lembremos até lá.

      Fico muito contente que tenha gostado e que queira divulgar. É esse o tipo de reacção que me dá força para continuar a pensar em iniciativas como esta apesar do trabalho que significam, e dos obstáculos que se vão colocando. Ainda assim, tenho muitas pessoas amigas que me incentivam, aconselham e desafiam e sem as quais tudo seria ainda mais difícil (senão impossível). Ah, e claro, há a Ana Silva que foi uma rocha em tudo isto e que ajudou imenso na organização durante as suas horas livres.

  2. José Dinis 21 Dezembro, 2010 at 01:24 Responder

    Ana…

    A sua “newsletter do KMOL” é uma excelente ferramenta que satisfaz muito os actos e a prática da “cidadania” e o evento Cidadania 2.0 releva a paixão do seu espírito de partilha do conhecimento e, por outro lado, se de alguma forma pressentiu que nesta realização podia ir buscar prazer ao sentir dor (por qualquer coisa que poderia correr menos bem!…) é mais uma razão para enaltecer o seu altruismo e a sua predisposição para ajudar a sociedade a evoluir no caminho da valorização das organizações e, muito em particular, das pessoas que lhe emprestam o corpo com espírito de inovação.

    Bem haja… (também pela alegria que demonstrou, quiçá perante algum esforço inerente ao seu estado de graça).

    Parabéns e força para continuar a surpreender-nos…

    • Ana Neves 21 Dezembro, 2010 at 11:09 Responder

      José, muitíssimo obrigada por essas palavras tão elogiosas e encorajadoras.

      O ano de 2010 está a chegar ao fim e o balanço é positivo. Nesta altura já olho para 2011 e os planos são muitos. Quem sabe um segundo Cidadania 2.0? Afinal, todos concordaram que muito ficou por dizer… Mas, quem sabe, outro tipo de projectos / eventos explorando temáticas relacionadas ou as mesmas mas segundo outros prismas?… A ver vamos…

      O meu próximo projecto de carácter mais aberto, mais público, deverá ser a conclusão do estudo sobre o estado da gestão de conhecimento em Portugal. Tal envolverá a análise das respostas ao questionário e a escrita do relatório, tudo na belíssima companhia da Maria José Sousa com quem estou a trabalhar neste projecto.

      Como sempre, utilizarei também o KMOL para dar a conhecer os frutos deste trabalho.

      Obrigada mais uma vez, pela força e por se manter fiel e atento ao KMOL!

Leave a reply