"O iogurte está amargo": motivações para a mudança organizacional

Este Sábado, a caminho de casa no comboio, ouvi uma das apresentações organizadas pela Royal Society of Arts (RSA). Nesta, intitulada "21st century enlightenment", Matthew Taylor contou uma história que gostaria de partilhar aqui (com pequenas adaptações).

Um menino nasceu e quando chegou a altura de começar a falar, tal não aconteceu. Os pais levaram-no a médicos de várias especialidades mas o menino continuava sem falar.

Um dia, quando o menino já tinha 9 anos, a mãe preparou-lhe o lanche, oferecendo-lhe um iogurte. O menino provou e disse à mãe "Este iogurte é amargo".

A mãe, espantada, pensou ter ouvido mal e pediu para ele repetir. O que ele fez sem problemas. A mãe chamou o pai que pediu também ao menino para repetir. "O iogurte está amargo". Completamente excitados e no meio de muita alegria, e antes de telefonarem ao médico e ao resto da família, perguntaram ao menino "Meu filho, todos estes anos e nunca falaste?...". Ao que o menino respondeu, "Todos estes anos, tudo o resto, estava satisfatório."

Esta é mais uma história bem-humorada que me remete para o cenário organizacional. Muitas vezes queremos que as pessoas nas nossas organizações façam determinadas coisas ou exibam determinados comportamentos. E ficamos admirados pela resistência que demonstram ou pela dificuldade que têm com pedidos aparentemente fáceis. Raramente pensamos que talvez essa reacção se deva a uma falta de motivação.

Quantas vezes parámos para perceber quais as motivações que poderão ter, ou poderemos criar, para que as pessoas nas nossas organizações tenham apetite de mudar ou seguir as nossas orientações? O que lhes poderá causar maior satisfação (pessoal ou profissional)? O que poderá aliviar algumas das coisas que lhes causam insatisfação?

Se não formos capazes de identificar estes pontos de pressão e recolhecê-los, abordá-los, na comunicação que fizermos, dificilmente seremos capazes de conseguir o comportamento que procuramos.

Saibamos ouvir; saibamos comunicar: teremos maior probabilidade de sucesso.

Deixo aqui o RSA Animate desta palestra como elogio à qualidade da palestra e também destas animações.

2 comments

  1. Ferdinand 15 Janeiro, 2011 at 15:35 Responder

    E tem ainda o aspecto do que é motivação para uma pessoa não o é para outra. As pessoas envolvidas em administração, se não forem comunicadores natos, deveriam ser treinados nestes aspectos.

  2. Filipa Prenda 11 Março, 2011 at 13:22 Responder

    Há relativamente pouco tempo estive numa formação de liderança em que se abordava o tema da motivação. Este nunca é muito fácil de tratar pois depende muito das pessoas que temos pela frente. Hoje em dia o sistema de motiva utilizado já não resulta e há que reinventar. Convido-vos a lerem o novo livro do Daniel H. Pink – Drive – que mostra o lado científico do assunto. http://www.facebook.com/observatoriodecomunicacaointerna

Leave a reply