Gestão de conhecimento em Portugal - um estudo e algumas conclusões

Tendo criado o KMOL há mais de 10 anos (foi em Abril de 2001), tenho estado num lugar de observação privilegiado para assistir à evolução da gestão de conhecimento nas organizações em Portugal (e não só).

Sinto que as coisas têm avançado. Não tão depressa como seria importante, mas sinto que as organizações estão hoje muito mais despertas para esta temática e que, de alguma forma, muitas começam a tentar incorporar práticas de GC na sua actividade interna.

Mas uma coisa é o que eu sinto, outra coisa é a realidade. E foi por isso que, com a Maria José Sousa, me lancei num projecto interessantíssimo (pelo menos para nós!): um estudo sobre o panorama da gestão de conhecimento nas organizações com presença em Portugal.

Pois bem, as respostas recolhidas no final de 2010, provenientes de 255 organizações, deram origem ao relatório que hoje publicámos e que está disponível para download no site do Estudo da Knowman.

Não é por ser um "bebé" meu mas recomendo vivamente a sua leitura a todos os que se interessam pela gestão de conhecimento e/ou pelo sucesso das suas organizações.

A título de curiosidade, e para abrir o apetite, deixo aqui algumas das conclusões a que chegámos (há mais 26):

  • 1 em cada 3 organizações tem uma pessoa responsável pela gestão de conhecimento
  • As organizações não têm uma boa noção de quantas horas são investidas em actividades de gestão de conhecimento
  • 1 em cada 3 organizações refere a gestão de conhecimento na sua estratégia. São menos as organizações que têm uma estratégia de gestão de conhecimento
  • O principal benefício que as organizações procuram com a gestão de conhecimento é o maior e melhor aproveitamento do conhecimento existente
  • A maior dificuldade enfrentada pelas organizações na concretização da estratégia ou na realização das actividades de gestão de conhecimento é a pouca experiência e conhecimento na área da gestão de conhecimento
  • 1 em cada 5 organizações opta por uma abordagem estratégica à gestão de conhecimento

2 comments

  1. Henrique Correia 17 Novembro, 2011 at 11:29 Responder

    Olá Ana,

    obrigado por partilhares este estudo e este conhecimento. Já recorri muito ao portal KMOL durante a minha licenciatura (2000-2004) e cá estou novamente no âmbito do meu Mestrado a procurar saber algo mais sobre o estado da arte no que diz respeito a GC em Portugal. Este estudo é muito bom, pois não encontrei nada do género. Vou cita-lo no meu trabalho final da cadeira de Gestão do Conhecimento. Obrigado.

    • Ana Neves 17 Novembro, 2011 at 11:36 Responder

      Muito obrigada, Henrique. Fico muito contente que o estudo e o conteúdo do KMOL em geral sejam úteis para quem o “consome”. Aproveito para o desafiar a participar da edição deste ano do mesmo estudo. O questionário a preencher está disponível em http://gc.knowman.pt/.

      Agradeço também que passe palavra a pessoas de outras organizações: públicas ou privadas, grandes ou pequenas, de qualquer sector, e mesmo que não saibam o que é a gestão de conhecimento. O questionário dá para todos 😉

      Se os convidar usando o formulário no link acima e eles preencherem mesmo o questionário, habilita-se a 2 noites para 2 pessoas no AquaHotel. Nada mau, hein?

      À semelhança do relatório de 2010, o de 2011 também será partilhado gratuitamente.

Leave a reply