Social Now 2018 - CTouch board

Uma conferência desenhada para aprendizagem máxima

Há uns anos atrás, regressava de uma conferência quando tive uma ideia para uma conferência totalmente diferente do normal. Nesta série de dois posts, irei falar um pouco da conferência Social Now e de que forma dá corpo a conceitos e práticas de gestão de conhecimento e aprendizagem organizacional.

Atenção: estes textos foram escritos por uma pessoa apaixonada por gestão de conhecimento e pela forma como as pessoas aprendem em conjunto.

Estava no voo de regresso a casa depois de passar dois dias numa conferência. Tinha visto pessoas que conhecia apenas online e conhecido pessoas interessantes mas, no geral, perguntava-me se aquela conferência tinha sido um bom investimento. Ouvi demasiadas platitudes e até teria dado para umas rápidas rodadas de buzzword bingo.

Durante um dos últimos painéis, pelo canto do olho, observava a pessoa ao meu lado que, de vez em quando, abanava a cabeça.

Curiosa, perguntei-lhe “Discorda do que estão a dizer? Tem uma experiência diferente?”.

“Não. Eu inscrevi-me nesta conferência para perceber de que forma é que as ferramentas sociais corporativas podem ser usadas e não estou a conseguir. Não entendo. Nem sequer sei qual o aspeto dessas ferramentas, muito menos como se tornam parte da forma como podemos trabalhar.”

Aquela resposta foi como um estalo na cara. Fez-me acordar, apontou-me uma das grandes falhas das conferências tradicionais e ao mesmo tempo confirmou a necessidade de haver uma forma melhor de aprender com a experiência e as dúvidas de outras organizações.

Foi assim que em 2012 nasceu o Social Now. Foi também em 2012 que nasceu a Cablinc, a empresa fictícia que cria o contexto para as sessões da conferência.

A Cablinc é uma empresa com dores muito semelhantes à da maioria das organizações: demasiadas reuniões, demasiados emails, dificuldade em aceder a informação sobre projetos anteriores, ainda maior dificuldade em aprender com esses projetos, fraca colaboração e partilha de conhecimento entre colegas, falta de registos sobre as razões que conduziram a decisões tomadas, trabalhadores remotos que se sentem isolados, etc. Soa-lhe familiar?

Aqui estão os 5 pontos diferenciadores do Social Now e de que forma contribuem para ultrapassar as falhas das tradicionais conferências.

A empresa fictícia

Sim, a Cablinc não é uma empresa real. Mas parece real. E a existência de um foco numa organização específica, ainda que não real, torna mais fácil oferecer recomendações práticas e concretas que podem facilmente ser importadas e adaptadas nas organizações dos participantes. É o fim das platitudes!

Ferramentas em ação

As ferramentas são demonstradas como narrativas de um dia na vida dos colaboradores da Cablinc. O foco é em melhores processos de trabalho e não nas funcionalidade. Em processos que, mais uma vez, os participantes podem adotar nas suas organizações mesmo que apoiados por outras ferramentas que já tenham.

Não são permitidos slides durante estas curtas demonstrações para que todas as pessoas na sala possam verdadeiramente perceber o que as ferramentas têm para oferecer e como é usá-las no dia-a-dia.

Uma intranet demonstrada para a Cablinc
As ferramentas sociais corporativas são demonstradas ao vivo para o contexto da Cablinc. Os participantes podem assim vê-las e "senti-las", percebendo como podem ser usadas e beneficiar o dia-a-dia das suas organizações

As perguntas difíceis

Durante a conferência, há três profissionais de organizações reais que vestem a camisola da equipa de gestão da Cablinc e fazem as perguntas difíceis – “como é que…”, “e se…” e até “quanto é que isto custa?”. As suas perguntas destacam o que considerar no momento de (re)pensar uma plataforma de colaboração ou de gestão de conhecimento que seja mesmo usada no dia-a-dia.

O tom direto das perguntas e a experiência dos membros deste painel quebram o verniz e ajudam os participantes a ver as coisas pelo que são.

É real

E por falar em verniz. É difícil imaginar profissionais de organizações reais que subam ao palco para partilhar os seus erros, para falar das suas bonitas intranets que ninguém utiliza, ou da falta de apoio da gestão de topo. O habitual formato “como era antes > o que fizemos > a bonita realidade > as lições aprendidas > próximos passos” não funciona.

No Social Now, pessoas de organizações reais contam um dia na sua vida ou descrevem um processo de trabalho específico, mostrando como as ferramentas sociais são usadas nesse contexto. Mais uma vez, mostram-se exemplos práticos de como melhorar a forma de trabalhar.

Peer Assist

Este ano, pela primeira vez, vamos ter um peer assist. Durante esta sessão, um facilitador irá guiar profissionais de organizações reais que irão oferecer conselhos para ajudar a Cablinc com o seu projeto de uma nova intranet. O objetivo principal é partilhar lições aprendidas, desassociadas de qualquer noção de sucesso ou falhanço.

As recomendações dos peers serão a base de “o que fazer” e de “o que evitar” durante o projeto da nova intranet da Cablinc para garantir que, uma vez disponível, seja efetivamente usada pelos colaboradores e atinja os objetivos definidos.


No próximo post, irei revelar como é que as ideias da gestão de conhecimento estão presentes nos diferentes elementos do Social Now e o impacto que têm na experiência de aprendizagem dos participantes.

Nota: Este post foi originalmente publicado, em inglês, no blog do Major Projects Knowledge Hub.

Leave a reply