Simplicidade

Simplicidade - capaSimplicidade é "a arte de tornar claro o que é complexo", é poder fazer menos do que não interessa, e mais do que interessa. "Simpicidade" é um livro simples sobre coisas simples.

Simplicidade existe quando:

  • "o tempo é organizado de forma a fazer coisas e pensar";
  • as pessoas confiam que a empresa as ajuda a trabalhar de forma mais inteligente;
  • as empresas permitem às pessoas navegar por escolhas infinitas.

O autor conta a história do estado actual do trabalho e ajuda a perceber o que frustra os nossos esforços.

O autor recorre várias vezes a um estudo levado a cabo pela sua empresa e co-patrocinado pela Northern Illinois University. Este estudo considerou 2500 executivos, gerentes e funcionários e procurava entender como é que as pessoas descobrem o que precisam fazer. Um dos resultados desse estudo é uma lista das principais fontes de complexidade: por causa delas, algumas pessoas estariam dispostas a mudar de emprego sem qualquer vantagem salarial. As quatro primeiras dessa lista são:

  • integração da mudança;
  • metas e objectivos pouco claros;
  • falta de comunicação destinada à tomada de decisões;
  • demasiado trabalho para obter o que se necessita.

O processo para eliminar alguma da complexidade passa por empregar melhor o tempo, planear o trabalho, comunicar, ouvir apenas o que interessa, e fazer sentido do conjunto.

O autor sugere cinco blocos de construção para maximizar o uso do tempo:

  • conhecer (as coisas verdadeiramente importantes);
  • sentir (pensar e planear a experiência);
  • usar (pensar nas ferramentas e recursos necessários);
  • fazer (criar e gerir expectativas); e,
  • obter sucesso (criar uma visão transmissível do que quer alcançar).

Cada um destes blocos é descrito com algum detalhe.

O capítulo 5 prepara-nos para conversas sobre planos e aconselha duas ferramentas com base nos cinco blocos.

O modelo de comunicação comportamental descrito por Jensen considera a resposta a cinco questões:

  • qual a relevância disto para o que faço?;
  • o que, especificamente, devo fazer?;
  • como serei avaliado e quais as consequências?;
  • que ferramentas de apoio estão disponíveis?; e,
  • o que ganho com isso?

Diz o autor que a pergunta mais comum é a que diz respeito às ferramentas, isto é, ao apoio existente.

Para que se consiga identificar o conteúdo relevante, diz o autor que se pode adoptar uma característica de vítima, pragmática, ou proactiva e que se deve prestar atenção aos seguintes aspectos:

  • a ligação com o que faço;
  • o que necessito fazer como resultado disto;
  • as expectativas;
  • a possibilidade de as coisas serem feitas; e,
  • quais os benefícios.

As narrativas como ferramenta são apresentadas no oitavo capítulo.

Jensen conta a história de algumas organizações que descobriram como melhorar os resultados, abordando as situações de forma mais inteligente. Apresenta também exemplos de organizações onde a forma como o conteúdo é apresentado faz a diferença. É vital que o conteúdo seja facilmente encontrado. A navegabilidade é chave e deve dar máxima liberdade ao utilizador.

Todo o livro está escrito de forma a provocar o leitor. Perguntas directas, que nos fazem pensar e rever a forma como abordamos o trabalho no dia-a-dia. O autor oferece-nos algumas ferramentas e dicas para que possamos rumar em direcção à simplicidade, eliminando a complexidade do nosso trabalho e do trabalho daqueles com quem interagimos.

Para um livro que professa a simplicidade peca, contudo, por não ter uma ordem constante dos elementos habituais. Quase todos os capítulos têm uma moral e algumas ideias de como começar: seria mais simples encontrar estes elementos se estivessem sempre na mesma posição dentro de cada capítulo. Há, porém, que reconhecer a informação oferecida ao leitor para que seja mais fácil navegar livremente pelos vários capítulos.

É um livro de agradável leitura e que oferece alguns bons conselhos para simplificar o nosso trabalho, o trabalho dos nossos companheiros, e o trabalho das organizações em geral.

Simplicidade - capaSobre o livro:
Simplicidade
Bill Jensen. Editora Campus, Brasil, 2000.

1 comment

  1. Ferdinand 28 Janeiro, 2011 at 00:16 Responder

    OOps, acabei achando!

    Esta frase: “abordando as situações de forma mais inteligente.”

    Isto faz sentido para ser um dos mandamentos de Gestão do Conhecimento.

    Ufa!

    Finalmente um diamante.

Leave a reply